Dorva, Dorvalina Baptista de Mattos Granjeiro: Um Exemplo de Força, Coragem e Determinação

Autora:

Joselita Cármen Alves de Araújo Nobre

Resumo:

Este artigo tem o objetivo de apresentar notícias da pioneira do Espiritismo amazonense Dorvalina Baptista de Mattos Granjeiro, que foi um exemplo de força, coragem e determinação. De família tradicional, nasceu em Óbidos (PA), chegou em Manaus (AM) ainda criança. Teve uma formação plural, estudando desenho, pintura, línguas estrangeiras. Formou-se normalista, atuou na educação infantil e apesar dos problemas de saúde, aposentou-se após 30 anos de magistério. A sua vida social foi intensa e o seu casamento aconteceu aos 31 anos de idade, com um viúvo que trazia consigo quatro filhos. O casal teve duas filhas Virgínia e Thereza, criando os enteados e as filhas com o mesmo zelo. Ficou viúva, depois enfrentou a doença e o desencarne da filha Virginia, assumindo a criação dos quatro netos, conduzindo-os até o casamento. Manteve a sua ligação com o Espiritismo desde o início do século XX, até a sua passagem para a pátria espiritual. Atuou na diretoria da Federação Espirita Amazonense no cargo de secretária, função até então exercida por homens, como também teve ações na Comissão de Assistência aos Necessitados. Na sua vida, a prática da caridade e o amor ao próximo sempre estiveram presentes.

Palavras-chaves: Espiritismo. Pioneira. Federação Espírita. Professora. Caridade.