Inspiração poética: um fenômeno medianímico

Autores:

Gadi Silva

Resumo:

Este artigo tem o objetivo de apresentar a inspiração poética como um processo anímico/mediúnico. Kardec denominou de mediunidade de inspiração. Segundo os seus estudos, é muito difícil identificar, com exatidão, quais são os pensamentos dos inspirados ou dos inspiradores, pois neste quesito a contribuição parte de ambos, a percepção dos pensamentos é uniforme e atuante. O médium inspirado, no caso o poeta, possui uma desenvoltura anímica muito pertinente. Dessa forma, o artigo apresenta os conceitos de animismo, mediunidade e mediunidade de inspiração, e também, as teorias das escolas literárias que dissertam sobre o processo de inspiração na poesia, cada uma defendendo uma perspectiva sobre o fenômeno.
Expõe a contribuição do espírito O Esteta, que, do ponto de vista espiritual define dois tipos de inspiração, uma relacionada ao animismo do artista, chamada inspiração pessoal e outra relacionada ao processo de captação/recepção, atribuída a um agente externo ou intervenção de um espírito desencarnado, denominada inspiração espiritual. E, seja qual obra for que o ser humano realize, somente dependerá dele que ela seja transformadora na sociedade humana, ou pelo menos, o seja para o ser humano que a criou, pois não esqueçamos que a mudança ocorre de dentro para fora, e que se a obra criada não sensibilizar o seu autor, pouco ou em nada sensibilizará o expectador.

Palavras-chaves: Animismo. Mediunidade. Medianímico. Inspiração Poética.

Acompanhe nossas redes sociais:

📲 Facebook | facebook.com/fakvirtual
🎥 YouTube | youtube.com/fakvirtual
📱 Instagram | instagram.com/fakvirtual
🌐 FAKnet | faknet.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Como posso te ajudar?